rmc.abr

Além de penalizar comerciantes, Prefeitura gera pânico para todo o comércio da região

Campinas, 07 de janeiro de 2022 - As novas restrições para bares e restaurantes – com limitação de horário de atendimento até o dia 31 de janeiro – anunciadas pela Prefeitura de Amparo em vigor a partir desta sexta-feira (07) são precipitadas, segundo avaliação da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) Regional Campinas. Tais medidas, com validade até o final do mês, penalizam o setor produtivo, geram pânico entre comerciantes e população e foram implantadas sem base em números que comprovem esta necessidade, sendo que os 46 casos notificados nos primeiros seis dias do ano de Covid-19 na cidade nesta quinta-feira (06) correspondem a somente 4,6% da média mensal no auge da pandemia, em 2021.

Um levantamento realizado pela Abrasel Regional Campinas, com base nos dados disponibilizados pela Fundação Seade no Repositório de dados sobre SARS-COV-2 em municípios paulistas, mostra que os 46 novos casos registrados por Covid-19 em janeiro de 2022 representam apenas 0,58% do total de 7.946 casos registrado na Cidade desde o início da pandemia, em março de 2020. Ainda de acordo com a Fundação, no auge da pandemia, de abril a junho de 2021, Amparo apresentou média mensal de 1.001 novos casos de Covid-19.

Segundo a Administração municipal, as medidas de restrições de funcionamento dos bares e restaurantes foram decretadas devido ao aumento no número de atendimentos médicos nos últimos três dias, que subiram de 347 para 500 desde o dia 3 de janeiro. Porém, a Administração não informa o número de leitos ocupados no município.

A Abrasel RMC também tem acompanhado com preocupação o aumento dos casos envolvendo sintomas gripais, similares aos da Covid-19, elevando a procura por atendimento hospitalar e pronto-socorro em toda a região. Esta demanda, porém, não tem a mesma pressão sobre leitos de UTI registrado durante a pandemia, devido à vacinação em massa e a baixa letalidade da Ômicron, conforme indicação da própria Organização Mundial da Saúde (OMS)

Porém, a Abrasel Regional Campinas e a Abrasel Nacional não veem como necessária, neste momento, tomadas de medidas mais restritivas para a população e muito menos para o setor, que trabalha com a adoção de todos os protocolos sanitários e de proteção, desde abril de 2020, elaborados com base nas recomendações internacionais levantadas própria Abrasel Regional Campinas e adotadas em todo o Brasil.

“Colocar medidas restritivas neste momento de retomada dos negócios depois de dois anos de punição para o setor e aumento de taxas e impostos neste início de ano, que vem ocorrendo em diversos municípios Brasil afora, é injustificável e sem sentido algum”, afirma o presidente da Abrasel Regional Campinas, Matheus Mason. “Estão punindo o setor produtivo e colocando em risco empregos sem necessidade. Isso demonstra a falta de aprendizado com todo o processo de controle da pandemia nestes dois últimos anos” alerta.

Segundo o presidente da Abrasel Regional Campinas, a decisão de Amparo já provocou medo e pânico em diversos comerciantes de toda a região, que temem que essa decisão, apressada e equivocada, possa ser seguida por outras cidades da região e do Brasil. “A nossa maior preocupação é que esta decisão desencadeiem uma reação em cascata em outros municípios, sem a necessidade comprovada por fatos, punindo ainda mais o setor de bares e restaurantes, trabalhadores e a economia como um todo.”

Assessoria de Comunicação Abrasel Campinas

Comentários