rmc.abr

Para Paulo Solmucci, presidente da Abrasel, a volta do horário de verão é duplamente benéfica para o País; pois além da questão ambiental, medida vai ajudar setor de bares, restaurantes e turismo

Nesta quarta-feira (1), entidades empresariais enviaram novo ofício ao presidente Jair Bolsonaro solicitando o retorno do horário de verão, ainda este ano. Entre as justificativas apresentadas para que parte do país atrase o relógio em uma hora (e com isso, ‘ganhe’ uma hora a mais de luz solar no fim do dia) estão a contribuição na economia de energia diante da maior crise hídrica que o país atravessa, além de um incremento no faturamento de um dos setores que mais sofreram na pandemia: com o novo horário, bares, restaurantes e setor hoteleiro veem a demanda por happy hours aumentar e, com isso, o faturamento.

O pedido assinado por várias organizações, entre elas, UNECS e CNTur, reforça a importância do horário de verão para meio ambiente, empresários e consumidores. Em um dos trechos, isso fica evidente: “Como é sabido, estamos diante de uma intensa crise hídrica agravada pela escassez de chuvas, situação que coloca em risco o fornecimento de energia elétrica em parte do Brasil. São muitos os desafios para mitigar o problema e qualquer economia energética se torna agora ainda mais relevante”.

Para Paulo Solmucci, presidente-executivo da Abrasel, uma das entidades que assina o ofício, a volta do horário de verão é duplamente benéfica para o País. “Estamos enfrentando dois momentos extremamente difíceis, que é retomada das atividades de milhões de pequenas empresas que sofreram muito com a pandemia e essa crise hídrica histórica, que desencadeia uma crise de abastecimento energético.

Entendemos que a retomada do horário de verão trará um ganho nesses dois cenários, de um lado possibilitando faturamento adicional para bares, restaurantes e cadeia do turismo, e, por outro lado, contribuindo para economia de energia, incentivando, inclusive, que a sociedade faça sua parte. Cada real a mais que entra no caixa desses negócios ou cada quilowatt poupado representam um ganho no enfrentamento destes grandes desafios”, explica.

Além de grandes entidades relacionadas ao setor, empresários como Luciano Hang, proprietário das lojas Havan, são adeptos ao retorno do horário de verão. “Hoje, mais de 70 países utilizam a medida, demonstrando que ela influencia sim, positivamente, para a economia. Além disso, neste período em que enfrentamos uma crise hídrica, este artifício também é uma maneira de economizarmos energia elétrica”, relata o empresário.

As entidades ainda aguardam resposta oficial do presidente Jair Bolsonaro.

Segunda tentativa

No início de junho, empresários e outras entidades do setor de alimentação fora do lar, comércio e turismo fizeram o pedido ao presidente para volta do horário de verão e não tiveram resposta. Na última semana, o tema voltou à tona depois que Bolsonaro, em live, afirmou que o país está com problemas nas reservas hídricas, que estão abaixo da capacidade, e pediu ao povo brasileiro para “apagar um ponto de luz para economizar energia”.

Comentários